Corregedor geral da justiça realiza correição na comarca de Pedro Canário ES

41

11:04 h

Esta é última correição ordinária do ano de 2018, prevista no calendário da CGJ-ES.

O corregedor-geral da Justiça, desembargador Samuel Meira Brasil Júnior, realizou, esta semana, com a equipe da Corregedoria, correição na Comarca de Pedro Canário, na região norte do Estado.

Trata-se da última correição ordinária do ano, de acordo com o calendário elaborado pela Corregedoria Geral da Justiça.

A Comarca não passava por uma correição há mais de dez anos, sendo esse o principal critério utilizado pela Corregedoria na elaboração do calendário.

O juiz titular da Comarca, Leandro Cunha Bernardes, ao se pronunciar durante a cerimônia de abertura, destacou, em síntese, a imensa satisfação de receber na Comarca a equipe da Corregedoria Geral de Justiça. O magistrado também destacou  tratar-se de “um município carente, com relevo à pobreza e desigualdade social”, afirmou. Por fim, ressaltou que o judiciário faz o seu papel para trazer justiça àqueles que necessitam e concluiu que todos estão dispostos a envidar esforços para cumprir tudo que vier determinado pela corregedoria.

O Corregedor-Geral da Justiça, Desembargador Samuel Meira Brasil Júnior, parabenizou e registrou a sua admiração pela apresentação da Banda “Em Casa”, que dentre outras canções, executou o hino nacional. A banda, formada por crianças e adolescentes de até 15 anos, integra o Projeto Cristal Orquestra, que existe há 14 anos no Distrito de Cristal do Norte.

Além disso, o Desembargador Samuel Meira Brasil também destacou o caráter essencial das instituições, que ocorre quando há sensibilidade e dedicação além das nossas capacidades.

Por fim destacou a necessidade de superação para que os resultados sejam alcançados e destacou: “não basta anunciar belas palavras, é preciso transformar as palavras em ação para que as instituições possam realmente cumprir suas missões”, concluiu.

De acordo com o Código de Normas da Corregedoria Geral da Justiça do Espírito Santo (CGJ-ES), a correição ordinária é a atividade orientadora, fiscalizadora e disciplinadora que o corregedor geral da Justiça exerce sobre os serviços do foro judicial e extrajudicial. Os procedimentos podem ser realizados na modalidade física ou virtual.

O resultado da correição fica registrado em ata e relatório e as instruções são encaminhadas ao juiz da unidade para o devido cumprimento. O relatório final da correição também passa pela aprovação do Conselho da Magistratura do Poder Judiciário Estadual.