Jogador Daniel foi espancado antes de morrer, diz testemunha à polícia

46

14:44 h

Futebolista foi encontrado em matagal na cidade de São José dos Pinhais

Uma testemunha que estava com o jogador Daniel momentos antes da sua morte foi ouvida pela Polícia Civil de São José dos Pinhais nesta quarta-feira (31). O advogado da testemunha, Jacob Filho, conta que o jogador sofreu as agressões dentro da casa do principal suspeito do crime, e que o motivo do crime seria passional, em virtude de um relacionamento do jogador com a esposa do suspeito.

Ainda segundo a testemunha, Daniel e mais seis pessoas estavam em uma boate de Curitiba quando decidiram ir para a casa do suspeito. No meio da festa, a esposa do suspeito teria gritado por “socorro” e depois Daniel foi visto dentro do quarto sendo espancado por quatro pessoas. Ainda não se sabe se o jogador estava tendo um relacionamento amoroso com a esposa do suspeito ou se a estaria violentando.

O advogado conta ainda que o jogador pedia para não ser morto. “Ele estava quase sem respiração e o corpo sem condições de locomoção”, relata. Depois, o corpo de Daniel foi encontrado em um matagal próximo à uma estrada rural na cidade de São José dos Pinhais, informa o Globo Esporte. A Polícia informa que ele foi morto por uma arma branca, provavelmente uma faca, e teve o órgão genital decepado.

O autor do crime procurou as pessoas que estavam na casa para montar um álibi, mas a testemunha resolveu se apresentar na delegacia com advogado e será incluído no serviço de proteção às testemunhas na Justiça. Daniel tinha 24 anos. Seu corpo está sendo velado em um ginásio de esportes na cidade de Conselheiro Lafaiete, Minas Gerais, com a presença de amigos e familiares.