Festival de Veneza seleciona filme sobre Caetano Veloso

Documentário será a única obra brasileira na mostra

(ANSA) – O documentário “Narciso em Férias”, no qual o músico Caetano Veloso relata seu período na prisão durante a ditadura militar, é o único filme brasileiro selecionado para a 77ª edição do Festival de Veneza, que acontece entre 2 e 12 de setembro.

Com direção de Renato Terra e Ricardo Calil, a produção de 84 minutos será exibida na seção “Fuori Concorso” (“Fora de Concurso”), que reúne “documentários e filmes nos quais a dimensão espetacular é acompanhada de formas de originalidade expressiva”, mas que não concorrem ao Leão de Ouro, principal prêmio do festival.

Caetano foi preso em dezembro de 1968, no mesmo dia em que o amigo e cantor Gilberto Gil, pouco depois da entrada em vigor do AI-5, principal instrumento de repressão durante a ditadura. “Quando a gente é preso, é preso para sempre, e eu às vezes sinto isso”, diz o músico brasileiro no documentário.

A seleção oficial da mostra foi divulgada nesta terça-feira (28) pela Bienal de Veneza. A seção “Fuori Concorso” também inclui o filme de abertura do festival, “Laços”, adaptação de Daniele Luchetti para o romance homônimo de Domenico Starnone, além de documentários sobre a ativista ambiental Greta Thunberg (“Greta”, de Nathan Grossman) e o estilista Salvatore Ferragamo (“Salvatore – The Shoemaker of Dreams”, de Luca Guadagnino).

Leão de Ouro

A seleção de concorrentes ao Leão de Ouro reúne 18 longas-metragens, sendo quatro italianos: “Le Sorelle Macaluso”, de Emma Dante; “Miss Marx”, de Susanna Nicchiarelli; “Padrenostro”, de Claudio Noce; e “Notturno”, de Gianfranco Rosi.

Criticada em outras ocasiões pela falta de paridade de gênero, a Bienal de Veneza selecionou 18 filmes dirigidos por 11 homens e oito mulheres (um deles tem dois cineastas). O festival será o primeiro entre os mais importantes do mundo a ser realizado depois da eclosão da pandemia do coronavírus Sars-CoV-2, que infectou 246,3 mil pessoas e deixou mais de 35 mil mortos na Itália.

Por conta disso, o evento será cercado de precauções, como medição de temperatura do público, uso de máscaras e mais exibições ao ar livre para reduzir o risco de contágio. O júri que designará o vencedor do Leão de Ouro reúne sete personalidades do cinema e é presidido pela atriz australiana Cate Blanchett.

O festival também homenageará a atriz britânica Tilda Swinton e a cineasta honconguesa Ann Hui com o Leão de Ouro honorário por suas carreiras. Confira a lista de candidatos ao principal prêmio da mostra:

“In Between Dying”, de Hilal Baydarov

“Le Sorelle Macaluso”, de Emma Dante

“The World to Come”, de Mona Fastvold

“Nuevo Orden”, de Michel Franco

“Amants”, de Nicole Garcia

“Laila in Haifa”, de Amos Gitai

“Und Morgen Die Ganze Welt”, de Julia von Heinz

“Cari Compagni”, de Andrei Konchalovsky

“La Moglie della Spia”, de Kiyoshi Kurosawa

“Khorshid”, de Majid Majidi

“Pieces of a Woman”, de Kornél Mundruczó

“Miss Marx”, de Susanna Nicchiarelli

“Padrenostro”, de Claudio Noce

“Notturno”, de Gianfranco Rosi

“Non Cadrà Più la Neve”, de Malgorzata Szumowska e Michal Englert

“The Disciple”, de Chaitanya Tamhane

“Quo Vadis, Aida?”, de Jasmila Zbanic

“Nomadland”, de Chloé Zhao.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *