Policiais militares que salvam bebê engasgado são homenageados pelo comandante-geral da PMES

21:48 h

O ato de heroísmo de dois policiais militares foi digno de reconhecimento e homenagem prestados pelo comandante-geral da Polícia Militar, coronel Moacir Leonardo Vieira Barreto Mendonça, na manhã desta terça-feira (17).

Os soldados Ivan Oliveira Scamparle e Diego Rodrigues Damasceno Silva, lotados na 14ª Companhia Independente, foram recebidos no gabinete do comandante, para um momento de valorização pelo salvamento de um bebê de apenas 20 dias, que havia se engasgado com leite materno, no bairro Jacaraípe, em Serra, na última terça-feira (13).

Além dos soldados homenageados e do coronel Barreto, também participaram da reunião o subcomandante-geral coronel Aleksandro Ribeiro de Assis, o comandante de Polícia Ostensiva Metropolitano, coronel Márcio Eugênio Sartório e o comandante da 14ª Companhia Independente, major Maximiliano Werneck de Souza, entre outros

Para o coronel Barreto, a postura dos policiais deve ser enaltecida e valorizada, para que sirva de inspiração e exemplo para toda tropa, e para que a sociedade tenha conhecimento do que o policial militar enfrenta no seu dia a dia profissional.

“Não existe algo mais gratificante do que fazer a diferença na vida de alguém. Aquela criança vai crescer e a história será contada a ela. Vocês são responsáveis por esse capítulo de esperança e superação daquela família. Agradeço, em nome da Polícia Militar e dos 8.300 homens que a compõe. Vocês merecem todo o nosso orgulho e apreço por demonstrarem a dignidade e a reverência da nossa carreira”, elogiou.

O coronel Sartório, que havia passado pela mesma situação com seu filho quando ele tinha 30 dias de vida, compartilhou o sentimento de emoção e enalteceu a conduta dos militares. “Só quem passa por isso sabe a aflição que é ver a vida de uma criança por um fio e saber que tudo está nas suas mãos. Foi um ato de muita coragem, realizado com muita calma e destreza em meio ao desespero. Vocês serão eternamente lembrados por isso”, indagou.

O comandante do 14º Batalhão, major Werneck, elogiou a dupla e manifestou orgulho por trabalhar com policiais militares tão dedicados e engajados. “Sinto-me muito honrado e dignificado por comandar esta Companhia e ombrear com policiais deste nível. Isso prova que trabalhamos para salvar vidas e proteger os inocentes. Prender os criminosos é mera consequência”, finalizou.

Segundo o tenente-coronel Carlos Ney de Souza Pimenta, diretor de Comunicação Social (DCS), ações dessa natureza são extremamente importantes para reconhecer e valorizar as boas e nobres ações dos Policias Militares.

“O comando-geral estará sempre muito engajado em publicizar e homenagear, através da DCS, nosso policial militar, sempre que necessário: o Herói Protetor da Sociedade, e que a defende mesmo com o sacrifício da própria vida”, afirmou.

A providência

Os soldados Scamparle e Damasceno contaram como foi o dia da ocorrência, externando como foi providencial a presença deles no momento em que tudo aconteceu.

“Nós fazemos parte do policiamento com quadriciclos e, naquele dia, o veículo tinha dado defeito, então tivemos que cautelar uma viatura. Quando saímos para o policiamento, decidimos passar por aquela região, o que também não era costume. Tão logo fomos acionados e nos surpreendemos, pois pensamos que se tratava de uma ocorrência de ‘Lei Maria da Penha’”, explicou soldado Damasceno.

“Ao subir as escadas ouvimos os gritos da mãe pedindo socorro. Chegamos e vimos o pai desesperado, com a criança toda roxa e sem respirar em seus braços. Eu já peguei o bebê e o virei sobre a minha mão e comecei a fazer a Manobra de Heimlich em suas costas. Ela foi voltando aos poucos, retomando a respiração. Foi tudo muito rápido. Graças a Deus deu tudo certo e a pequena Sofia está a salvo”, contou soldado Scamparle, bastante emocionado.

Os militares foram presenteados e receberam certificados de honra ao mérito das mãos do comandante-geral, coronel Barreto. Receberam elogio formal, a ser publicado em boletim e foram agraciados com três dias de dispensa-recompensa pelo ato de bravura.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *