Plano prevê volta às aulas em agosto no ES e reposição aos sábados

Rede pública vai ter revezamento de alunos nas salas para evitar aglomeração. Já a partir de julho, conteúdo fornecido pela internet vai ser considerado dia letivo

(TRIBUNA ONLINE) – Em uma tarefa delicada, o governo do Estado está desenhando um plano para a volta às atividades nas escolas. Segundo diretores de unidades da rede estadual, a previsão é de retorno das aulas presenciais a partir de agosto, mas com revezamento de alunos nas escolas.

Também estão sendo definidos pontos como a reposição de aulas aos sábados. Já a partir de julho, as aulas remotas devem passar a ser consideradas dias letivos. As propostas do plano que está em elaboração foram passadas aos diretores em uma reunião virtual com representantes da Secretaria de Estado da Educação (Sedu) há alguns dias.

A reportagem ouviu diretores de escolas, que afirmaram que o plano ainda pode sofrer alterações, mas que são os prazos que têm usado para se preparar. A diretora de uma escola da rede estadual, em Vitória, que preferiu não se
identificar, explicou que todos aguardam o plano oficial nos próximos dias, com detalhes de como irá funcionar, já que faltam poucos dias para iniciar o mês de julho, quando as aulas remotas passariam a valer.

“Já estamos nos preparando para um revezamento, talvez com parte de turma na quadra ou pátio e lousas com rodas para que isso seja possível”.

Outra diretora, que também preferiu não se identificar, disse que aguarda um comunicado oficial sobre o plano. Para os alunos com dificuldades de acesso à internet, a diretora frisou que as atividades e os conteúdos impressos podem ser levados para casa do estudante.

O secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, afirmou ontem que está construindo com o secretário de Estado da Educação, Vitor de Angelo, um conjunto de propostas para a retomada das aulas.

“Na avaliação preliminar, feita pela Sesa, o retorno não é possível no mês julho ou enquanto não houver tendência consolidada de redução de pacientes graves, de óbitos e da positividade de pacientes novos”.

Sobre o plano, a Sedu esclareceu que qualquer nova medida será divulgada assim que for definida.

Atividades em casa

Enquanto aguarda as definições de retorno das aulas na rede estadual, a estudante Viviam Ribeiro de Oliveira, 17, tem se dedicado aos conteúdos e atividades disponibilizados por meio da internet.

A aluna do 3º ano da Escola Hunney Everest Piovesan, em Santa Fé, Cariacica, espera que o plano seja divulgado em breve, mas se preocupa com as aulas remotas. “Tenho conseguido fazer as atividades, mas sei que na escola nem todos têm acesso à internet”.

Suspensão das aulas

Com a pandemia provocada pelo novo coronavírus, as aulas da rede estadual estão suspensas desde o dia 17 de março. Inicialmente, o decreto estadual proibia a abertura das instituições de ensino por 15 dias, mas de lá para cá, esse prazo foi prorrogado.

Novo decreto

O último decreto publicado no Diário Oficial do Estado manteve a suspensão até o dia 30 deste mês.

Planejamento

Desde que as aulas foram suspensas, um plano para retorno é avaliado pela Secretaria de Estado da Educação (Sedu) juntamente a equipes da Secretaria de Estado da Saúde, com base no comportamento do vírus no Espírito Santo.

Aprendizado no período

Desde o início da suspensão das aulas, as escolas têm organizado conteúdos por meio de plataforma digital e disponibilizado material impresso para quem não tem acesso à internet.

Reunião

Em uma reunião com diretores de escolas, representantes da Sedu discutiram algumas propostas do plano de retomada das atividades escolares, como a validação do conteúdo passado remotamente a partir do mês de julho.
Segundo eles, os pontos ainda podem sofrer modificações.

Outro item debatido foi a volta das aulas presenciais a partir de agosto, com revezamento de alunos para que não tenham que ir todos ao mesmo tempo, reduzindo a aglomeração nas escolas.

Diretores revelaram que ainda têm dúvidas se o revezamento se dará entre alunos de uma mesma turma, ou turmas revezadas a cada dia. Mas a ideia é que parte dos estudantes tenha aula em um dia e outros dias faça atividades em casa.

Um outro ponto foi a reposição das aulas para fechar o ano letivo de 2020 aos sábados.

Essa reposição também seria se forma remota, ou seja, por meio de plataforma ou conteúdo impresso para quem não tiver acesso à internet.

Expectativa

Apesar dos pontos terem sido passados na última reunião, os diretores estão na expectativa para que o plano seja passado de forma oficial nos próximos dias, já que a partir do mês de julho as aulas remotas passariam a valer.

Por enquanto, muitos representantes de escolas da rede têm trabalhado com esses prazos passados até o momento.

Sedu

A Secretaria de Estado da Educação (Sedu) esclareceu por meio de nota que o plano ainda não está definido.
“o decreto vigente suspende as aulas presenciais até o dia 30 de junho e que qualquer nova medida será divulgada assim que for definida.”

Sedu vai fazer reunião com o sindicato dos professores

Diante das informações sobre uma possível retomada das aulas presenciais a partir de agosto na rede estadual, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Espírito Santo (Sindiupes) demonstrou preocupação.

A secretária administrativa e financeira do sindicato, Noêmia Simonassi, afirmou que está marcada para amanhã uma reunião com representantes da Secretaria de Estado da Educação (Sedu).

“Estamos fechando quais diretores irão participar. Ficamos sabendo, de forma informal, de pontos de como será o retorno das atividades. Eles foram passados às escolas e repassados aos professores, mas isso ainda não foi discutido com a categoria, que precisa se preparar”.

Ela reforçou que há vários pontos e preocupações com relação à segurança de alunos e professores a serem debatidos antes de um plano ser fechado. “Acreditamos que, enquanto a pandemia estiver da forma que está, não podemos
voltar com as aulas presenciais”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *