Número de homicídios no ES cresce 20% no primeiro semestre de 2020

Números deste ano foram comparados aos do mesmo período de 2019. De acordo com polícia, maioria dos crimes tem ligação com o tráfico de drogas.

(PORTAL G1) – Mesmo com o isolamento social por causa da pandemia, o número de homicídios no Espírito Santo cresceu 20% nos primeiros seis meses de 2020 em comparação com o mesmo período do ano passado.

Foram 594 pessoas assassinadas entre janeiro a junho deste ano, 96 a mais do que no primeiro semestre de 2019, quando aconteceram 498 homicídios.

Segundo a polícia, a maior parte dos crimes tem ligação com o tráfico de drogas.

“No mês de maio, em 50% dos homicídios, foi confirmado o envolvimento com o tráfico. No Brasil, temos visto que 80% desses homicídios têm ligação direta com o tráfico de entorpecentes”, apontou o secretário de Estado da Segurança Pública, coronel Alexandre Ramalho.

Ramalho detalhou, que, somente neste ano, 4.500 pessoas foram detidas por envolvimento com o tráfico de drogas, mas a maioria delas já foi solta.

Para ele, a manutenção da prisão desses criminosos poderia ter contribuído com a redução dos números.

“Nesse ano, 4.500 pessoas foram detidas pela PM por envolvimento no tráfico. Dessas, apenas 1.400 ficaram detidas. Outras 3.100 retornaram para os lugares de origem. Muitas dessas mortes poderiam ser evitadas se esses indivíduos tivessem ficado recolhidos como deveriam estar, nos presídios”, declarou.

Armas

De acordo com o secretário, nos últimos meses, a Polícia Militar tem feito operações para combater o tráfico e prender homicidas.

Durante essas ações, muitas armas pesadas, de grosso calibre, foram apreendidas. Para ele, a entrada de armas estrangeiras no Espírito Santo é outro problema.

“Oitenta por cento (80%) desses homicídios são cometidos por arma de fogo. Outra discussão que a gente tem que travar é sobre a entrada dessas armas, que são turcas, americanas, e não deviam estar passando pelas nossas fronteiras”, considerou.

Semana violenta

A exemplo dos altos números registrados em todo o estado, em Vila Velha, em menos de uma semana, foram cinco assassinatos no meio da rua.

No domingo (28), Fernando Cabeção, condenado pela morte do juiz Alexandre Martins, foi morto a tiros no bairro Itapoã. Foram mais de 15 disparos em uum final de tarde, em uma rua movimentada.

Na terça (30), um casal foi morto, também dentro de um carro, no bairro Boa Vista. A mulher que dirigia o veículo levou um tiro na cabeça e morreu na hora.

O homem que estava no carona também foi atingido, chegou a ser levado para o hospital, mas não resistiu.

Na noite seguinte, mais duas pessoas foram assassinadas. Um homem de 20 anos foi morto numa calçada no bairro Cristóvão Colombo. Duas horas depois um outro homem também foi morto no meio da rua, no bairro Ilha dos Ayres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *