Secretário de saúde diz que até domingo o número de mortes por coronavírus pode chegar a 600 no ES

“A covid mata mais do que inúmeras doenças conhecidas. A pandemia é real e está instalada em todos os municípios capixabas”, disse Nésio Fernandes em coletiva

(FOLHA VITORIA) – Em entrevista coletiva via internet, nesta sexta-feira (29), o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes conversou com a imprensa sobre as últimas informações com relação ao combate ao coronavírus no Espírito Santo.

Segundo Nésio, o Estado começou o mês de maio com 550 leitos para atendimento de pacientes com covid-19 e agora, no final do mês já são 1.100 leitos para pacientes com coronavírus (enfermaria + UTI).

O secretário também reforçou a preocupação com a letalidade da doença. “A expansão de casos novos teve um crescimento exponencial. Foram 124 óbitos no início de maio e até domingo é possível que o número chegue a 600. A covid mata e mata muito”, disse Nésio.

“A covid mata mais do que inúmeras doenças conhecidas. A pandemia é real e está instalada em todos os municípios capixabas”, completou o secretário.

Inquérito Sorológico

Nésio Fernandes também reforçou que a segunda fase do inquérito sorológico termina nesta sexta-feira (29) e que na segunda-feira os dados serão apresentados.

Matriz de Risco

Ainda segundo o secretário, a matriz de risco será atualizada nesta sexta-feira. De acordo com o secretário, algumas cidades podem chegar ao ‘risco extremo’, o que sugere um alerta para o aumento das medidas restritivas. Para que a situação não piore, Nésio alertou para que a população e demais setores da sociedade foquem na mobilização das medidas de isolamento social.

“Não é natural e normal que morram tantas pessoas, por isso é razoável que medidas mais enérgicas possam ser tomadas para conseguir romper o contato entre as pessoas”, disse o secretário.

Isolamento social

O subsecretário de vigilância em saúde, Luiz Carlos Reblin, que também participa da entrevista coletiva, criticou as pessoas que nos últimos dias têm furado a quarentena para passear em cidades turísticas, como as da região serrana do Estado. “Isso não é uma atitude de isolamento social”.

Fila de Testes

Segundo o Reblin, o Brasil teve um problema de desabastecimento de um insumo necessário para a realização dos testes para coronavírus. Por conta disso, parte do material coletado no Estado foi encaminhado para o Paraná no início desta semana. Porém o resultado ainda não teve resultado divulgado. Segundo Reblin, apenas na próxima semana os pacientes saberão os resultados dos exames.

Ocupação de leitos em hospitais privados

Segundo o secretário Nésio Fernandes, os hospitais particulares estão com 65% de ocupação. Destes, são cerca de 14% ocupados por pacientes com coronavírus e quase 50% ocupados por pacientes com doenças respiratórias.

Óbitos em investigação

De acordo com Nésio Fernandes, o Estado tem hoje 41 mortes sob investigação por suspeita de coronavírus.

Cloroquina

Sobre o uso da cloroquina no tratamento da covid-19, o secretário disse que Estado encomendou uma pesquisa de opinião técnica para um grupo de médicos especialistas sobre o assunto e disse que após isso o protocolo mudou no Estado.

“Nós adotamos o uso da cloroquina desde o início da pandemia, até a última semana, em todos os pacientes com indicação de internação em unidades de terapia intensiva”.

Porém, segundo o secretário, a sociedade médica retirou a recomendação do uso do medicamento para pacientes graves, ficando a cargo dos médicos a avaliação se utilizam ou não esse medicamente para pacientes com indicação de terapia intensiva”. Por conta disso, o Estado seguiu a mesma orientação.

“Nós retiramos a indicação da prescrição desse medicamento por não haver evidências científicas que apontem a eficácia dele nos pacientes graves”, afirmou Nésio.

Hospital de Campanha no Noroeste do Estado

De acordo com Nésio, existe a necessidade de expandir os leitos de enfermaria na região Noroeste. Para que essa expansão seja feita, o Estado não descarta a construção de um hospital de campanha. Segundo o secretário, sem definir datas ou locais da possível instalação do hospital de campanha, apenas na próxima semana haverá uma definição sobre o assunto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *