Secretário diz que ES pode decretar lockdown de até 21 dias, com bloqueio de ruas

A informação foi dada pelo secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes. Medidas podem ser adotadas em junho, mês em que é previsto período intenso de casos e óbitos, caso o índice de distanciamento social não alcance o ideal

(A GAZETA) – Fechamento de ruas, do comércio, do transporte coletivo e parte da indústria por até 21 dias. Essas são as medidas extremas que podem ser tomadas pelo governo do Estado caso a pandemia do novo coronavírus avance no Espírito Santo. A informação foi passada pelo secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, durante entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira (22).

Segundo o secretário, o nível baixo de distanciamento social e a expectativa de que o mês de junho seja intenso no registro de casos e óbitos, pode levar a tomada de “medidas extremas” por parte das autoridades.

“As próximas semanas serão muito intensas, como nós temos alertado […] E nós estamos alertando que, se o conjunto da sociedade não aumentar o distanciamento social, nós, em junho, teremos um mês muito intenso. Nós, em junho, podemos ter que tomar medidas extremas no Estado do Espírito Santo”, disse.

Ao explicar as medidas extremas, o secretário afirmou que elas se referem à matriz de risco adotada pelo governo do Estado, e podem ser aplicadas caso seja reconhecido o risco extremo em vários municípios e regiões.

“As medidas extremas se referem à possibilidade de, de acordo com a matriz de risco adotada pelo governo do Estado, reconhecer o risco extremo em vários municípios e regiões e decretar o lockdown no nosso Estado. As medidas extremas se referem à aplicação da matriz de risco adotada pelo Espírito Santo no enfrentamento do Covid-19, e a possibilidade da gente ter que fechar ruas, (fechar) plenamente o comércio, o transporte coletivo, parte da indústria durante, pelo menos, 14 dias, talvez 21 dias”

Nésio Fernandes
Secretário de Estado da Saúde do Espírito Santo

Para evitar que isso aconteça, o secretário fez um apelo para que todo o conjunto da sociedadeadote as medidas já recomendadas, principalmente, a do distanciamento social.

“Eu conclamo, em nome do Sistema Único de Saúde, em nome do governo do Estado, que a sociedade se envolva de maneira mais aguerrida e disciplinada nos próximos dias. Nós não queremos perder a vida de mais capixabas, nós não queremos perder a vida de mais pessoas […] E o mês de junho que se aproxima será muito intenso, o que exige que, nesta semana, o conjunto da sociedade se mobilize e melhore o distanciamento social. Se nós tomarmos essas medidas, nós venceremos. E é possível vencer a pandemia”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *