Presidente da Câmara de São Mateus esclarece notícia sobre a Petrocyti

O presidente Jorge Recla disse que a população não precisa temer, pois o tão sonhado Porto, é do Município

O Presidente câmara municipal de São Mateus, Jorge Recla ( Jorginho Cabeção), vem a público informar que, uma notícia distorcida tem sido distribuída a sites informativos do interior do Espírito Santo e Minas Gerais, dando conta de que foi negada pelo IEMA a licença ambiental para construção do Centro Portuário de São Mateus e que, com isso, o município pode perder o seu tão sonhado porto.

Em primeiro lugar, ele diz que cabe esclarecer que não foi negada a licença ambiental para o projeto. O que há é um parecer de quatro técnicos do Instituto Estadual de Meio Ambiente contrários ao Estudo de Impacto Ambiental apresentado pela Petrocity Portos para a instalação do porto.

É importante salientar, no entanto, que do parecer cabem recursos, tanto à Diretoria do IEMA quanto ao Conselho Regional de Meio Ambiente e, segundo informações fornecidas pela Diretoria Executiva da Petrocity Portos, 95% das alegações apresentadas pelos técnicos estão eivadas de erros, que estão sendo refutados um a um no recurso preparado pela equipe técnica da empresa.

O Presidente da câmara explica, há que se reconhecer as dificuldades para analisar um processo tão grande e complexo quanto o do Centro Portuário de São Mateus, que se difere dos demais projetos do segmento no Estado pela sua sofisticação tecnológica.

Diferentemente do que foi veiculado por um site noticioso de Vitória, a comunidade de Urussuquara não é contrária ao porto. Muito pelo contrário. Existe uma grande expectativa não apenas da comunidade, e sim de toda a população de São Mateus, do Norte e Noroeste do Espírito Santo, e ainda Sul da Bahia e Leste de Minas pela construção do CPSM, pelas oportunidades de emprego e negócio que o empreendimento vai gerar, assim como pela transformação socioeconômica que promoverá.

Ele diz que, como chefe de um poder municipal, a Presidência da Câmara de São Mateus mantém-se alerta quanto a manobras que visem a prejudicar o crescimento e desenvolvimento econômico e social do município e de toda a região, e faz eco à reivindicação das lideranças e da população em geral de que sejam agilizadas todas as providências para o início das obras deste projeto, que será a redenção de nosso Estado.

Vários contratos estão assinados, projetos aprovados, a área do CPSM reconhecida como área portuária pelas autoridades federais, e licenças já foram concedidas na instância municipal para a instalação das primeiras unidades de geração de energia.

Sendo assim, repudiamos as manobras feitas contra o CPSM e solicitamos que nossos líderes políticos e empresariais se unam em torno desta causa, impedindo que o Norte do Espírito Santo seja colocado à margem do novo momento que vive o Brasil.

Pedimos socorro aos nossos representantes no Congresso Nacional para que, junto ao Governo Federal, assegurem apoio à construção da maior plataforma logística do Sudeste, constituída pelo Porto de São Mateus e pela Estrada de Ferro Minas-Espírito Santo, finaliza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *