Setades promove webinário para marcar Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

 

A Secretaria de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento Social (Setades), promove, na próxima segunda-feira (17), o webinário “Violência Sexual contra crianças e adolescentes: o que fazer?”. A transmissão será por meio da plataforma Zoom, pelo link: https://us02web.zoom.us/j/82783392526 , com o ID da reunião: 827 8339 2526.

O evento acontece das 14h30 às 17 horas, e contará com os palestrantes Iolete Ribeiro da Silva, professora da Universidade Federal do Amazonas e ex- presidenta do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente; Thauan Pastrello, técnico de referência do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil do município de Vitória, e com a mediação de Alessandra Zardo A. Venturim, referência técnica da Gerência de Proteção Especial/Programa de Erradicação do Trabalho Infantil.

História da data

O dia 18 de maio é reconhecido no Brasil como Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Infelizmente essa data está relacionada a um cruel episódio da história do Espírito Santo. A data foi instituída em memória de Araceli Cabrera Crespo, que aos oito anos de idade foi raptada, drogada estuprada e morta em 1973, na pital do Estado, em um caso que ganhou repercussão nacional.

A violência sexual praticada contra crianças e adolescentes é uma forma de violação de direitos humanos e envolve vários fatores de risco e vulnerabilidade, dentre eles as relações de gênero, de raça/etnia, de orientação sexual, classe social, de geração e condições econômicas. Nessa violação, são estabelecidas diversas relações de poder, nas quais tanto pessoas quanto redes utilizam crianças e adolescentes para satisfazerem seus desejos e fantasias sexuais ou obterem vantagens financeiras e lucros. Infelizmente, a violência sexual contra meninos e meninas não se dá só no contexto de exploração sexual, mas também ocorre por meio do abuso sexual intrafamiliar ou interpessoal.

Dessa forma, é dever do Estado e de suas instâncias criar medidas de proteção e de conscientização a respeito dos efeitos danosos do abuso e da exploração sexual de crianças e adolescentes. Nesse sentido, são as ações de enfrentamento que podem gerar sensibilização e mobilização social para combater essas formas de violência. O Governo do Estado, por meio da Setades, assessora, incentiva, apoia e fortalece os municípios e demais parceiros da rede de proteção social nas iniciativas direcionadas à prevenção e erradicação dessa prática.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anuncie
Conosco.