Divulgação da pesquisa Rede Vitória/Futura da Capital é suspensa pela Justiça Eleitoral

A divulgação da segunda pesquisa eleitoral Rede Vitória/Futura com a intenção de voto dos eleitores da capital do Estado, prevista para esta segunda-feira (26), está temporariamente suspensa pela Justiça Eleitoral. O juiz de plantão deste domingo (25), José Luiz da Costa Altafim, atendeu a um pedido do candidato Namy Chequer, do PCdoB, que questionou o critério técnico de avaliação do item “classe social”.  

O  sócio-diretor da Futura e responsável técnico pela pesquisa, José Luiz Soares Orrico, afirmou que vai acionar a Justiça logo cedo para recorrer da decisão. “Não há nada de errado com os procedimentos que usamos. Por isso, vamos acionar a Justiça para derrubar a liminar”.

O candidato do PCdoB afirmou que a pesquisa “quanto ao nível econômico, traz critério insuficiente ao dividir a amostra em pessoas economicamente ativas e pessoas economicamente não ativas, não há a efetiva ponderação quanto ao nível econômico dos entrevistados”. 

Por isso, o juiz determinou que a pesquisa seja suspensa “até que sejam complementados os trabalhos do plano amostral referente a faixa econômica”. O magistrado determinou ainda a apresentação de defesa em um prazo de dois dias.  

Segundo o sócio-diretor da Futura, o critério usado na pesquisa realizada pelo instituto é o mesmo usado pelas maiores empresas de pesquisa do Brasil.  

“A decisão questiona que nós usamos um critério insuficiente. Nós usamos o PEA, População Economicamente Ativa, um conceito adotado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para se referir a pessoas de 10 a 65 anos classificadas como ocupadas ou desocupadas. Acreditamos que poderemos suspender, na Justiça, esta liminar”, afirmou.

Com a suspensão temporária de divulgação da pesquisa, o programa especial no Folha Vitória com os analistas políticos também fica suspenso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *