Número de mortes por covid-19 nos EUA supera 1 milhão

Número representa cerca de uma morte para cada 327 americanos

Os Estados Unidos (EUA) já registraram mais de 1 milhão de mortes por covid-19, de acordo com contagem da Reuters, atingindo um número impensável cerca de dois anos após os primeiros casos da doença terem transformado a vida no país.

A marca de 1 milhão de mortes é forte lembrete do luto e da perda espantosa causada pela pandemia, mesmo quando a ameaça representada pelo vírus diminui na cabeça de muitas pessoas.

O número representa cerca de uma morte para cada 327 americanos, ou mais do que toda a população de São Francisco.

Quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a covid-19 uma pandemia global, em 11 de março de 2020, o vírus já havia tirado 36 vidas nos Estados Unidos. Nos meses seguintes, ele se espalhou, encontrando terreno fértil em áreas urbanas densamente povoadas como Nova York, e depois alcançando todos os cantos do país.

Em junho de 2020, o número de mortes nos EUA havia ultrapassado o total de mortes de militares do país na Primeira Guerra Mundial, e excederia, em 2021, as perdas militares norte-americanas da Segunda Guerra, quando mais de 405 mil mortes foram registradas.

A doença deixou poucos lugares intocados no planeta, com 6,7 milhões de mortes confirmadas globalmente. O verdadeiro número de vítimas, somando aqueles que morreram de covid-19, bem como aqueles que faleceram como resultado indireto do surto, é provavelmente de 15 milhões, segundo a OMS.

Com o avanço da vacinação, a ameaça da covid-19 diminuiu após onda causada pela variante Ômicron, e muitos norte-americanos tiraram as máscaras e retornaram aos escritórios nas últimas semanas. Restaurantes e bares estão, mais uma vez, cheios de clientes.

O rastreamento da pandemia da covid-19 não é uma ciência exata. A Reuters e outras organizações que fazem contas estão chegando ao número de 1 milhão de mortes nos EUA em momentos diferentes. A variação se deve a como cada organização conta os óbitos por covid. Por exemplo, a Reuters inclui tanto mortes confirmadas quanto prováveis, quando esses dados estão disponíveis.

O número exato da pandemia pode nunca ser verdadeiramente conhecido. Algumas pessoas que morreram quando infectadas nunca foram testadas e não aparecem nos dados. Outras, apesar de terem a doença, podem ter morrido por outro motivo, como um câncer, mas ainda assim foram contabilizadas.

Reuters

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You cannot copy content of this page