UE propõe aceitar turista vacinado; Coronavac fica de fora.

A proposta da União Europeia para permitir pessoas totalmente imunizadas confirma a decisão das autoridades de excluírem do esquema, ao menos por enquanto, as vacinas chinesas, como a Coronavac.

A União Europeia (UE) propôs nesta segunda-feira que viajantes totalmente imunizados com vacinas contra covid-19 aprovadas pelo bloco possam visitar os 27 países da região. A proposta confirma a decisão das autoridades europeias de excluírem do esquema, ao menos por enquanto, as vacinas chinesas, como a Coronavac.

Em comunicado, a Comissão Europeia, braço executivo da UE, informou que pediu aos governos dos 27 países do bloco, responsáveis por tomar as decisões relativas às fronteiras, que “suspendam as restrições às viagens não essenciais de pessoas vacinadas” ao bloco.

Atualmente, a UE autorizou o uso de quatro vacinas: Pfizer/BioNTech, Moderna, AstraZeneca e Johnson & Johnson. A Sputnik V, desenvolvida pela Rússia, está sendo analisada pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês). Até agora, porém, nenhuma vacina chinesa está sendo revisada pelo órgão.

O comunicado diz que outras vacinas poderão ser adicionadas à lista de permissão de viagens se receberem sinal verde da Organização Mundial da Saúde (OMS). A Coronavac, usada no Brasil, e o imunizante desenvolvido pela Sinopharm estão sendo analisados pela entidade.

A Comissão Europeia também quer que o bloco receba viajantes de países bem-sucedidos no combate ao vírus. O sistema proposto teria como base a média de casos registrados por cada 100 mil habitantes em um período de duas semanas.

No momento, a Comissão Europeia recomenda uma proibição geral de entrada de viajantes no bloco, exceto para viagens essenciais de negócios. A maioria dos países-membros está respeitando essa regra.

Apenas seis países — Austrália, Nova Zelândia, Ruanda, Cingapura, Coreia do Sul e Tailândia — fazem parte de uma lista da UE que permite que os Estados-membros suspendam “gradualmente” as restrições de viagem. Os números mostram que as infecções por covid-19 estão sob controle nessas regiões.

A China também está nessa lista, mas as restrições às viagens só serão atenuadas se o país retribuir e permitir a chegada de viagens vindos da UE, o que não é o caso atualmente.

A Comissão Europeia quer que a região reabra suas fronteiras em breve para os viajantes que cumpram os critérios propostos hoje. O objetivo é salvar a importante temporada turística do verão.

Um componente-chave do esquema é o chamado “Passaporte Verde Digital”, proposto pelo bloco para provar que o portador do documento foi vacinado, testou recentemente negativo para a doença ou possui anticorpos após ter sido infectado.

O chamado passaporte covid deve começar a ser testado neste mês em alguns países da UE. O objetivo é que o sistema seja implementado totalmente em junho, com a possibilidade de expandi-lo para incluir certificados emitidos por países de fora do bloco.

 

Com Informações do  Valor econômico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *