Alianças políticas de apoio a João Coser no segundo turno passam por Casagrande

Governador se encontrou com o ex-prefeito de Vitória para definir alianças na disputa contra Delegado Pazolini

(SÉCULO DIÁRIO) – A agenda do governador Renato Casagrande (PSB) com o candidato do PT à prefeitura de Vitória, João Coser, na noite dessa terça-feira (17), “foi muito boa e promete resultados” na disputa em segundo turno com o Delegado Pazolini (Republicanos). A notícia circula nos meios políticos, embora o governador ainda mantenha silêncio sobre o assunto, como observado no primeiro turno das eleições deste ano.

A informação confirma uma tendência predominante nos círculos políticos, dentro de um cenário que leva em conta a oposição ao governo manifestada pelo Delegado Pazolini no exercício do mandato de deputado estadual, considerada parte da estratégia do seu grupo político, articulado pelo presidente da Assembleia Legislativa, Erick Musso, e o deputado federal Amaro Neto, visando à eleição de 2022.

A informação de bastidor é que Casagrande está analisando a melhor forma com a qual dará o apoio a João Coser. O governador já estaria trabalhando junto a lideranças políticas, a fim de reforçar a campanha petista, posição já sinalizada em redes sociais desde o primeiro turno das eleições, deixando claro que participaria das articulações.

A expectativa principal é sobre como as conversas com o governador poderiam surtir efeito no apoio a Coser da chapa de Fabrício Gandini (Cidadania), que protagonizou duros embates com Pazolini na campanha eleitoral, já que eles integram o mesmo grupo político. Mas até agora, nos bastidores, ganha força a possibilidade de Gandini optar pela neutralidade. O deputado foi o terceiro colocado na disputa, com 21,12% dos votos, em uma disputa apertada com Coser, que obteve 21,82%.

Como candidato natural à reeleição, Casagrande é objeto da oposição acirrada dos deputados alinhados ao Republicanos, partido do Delegado Pazolini, todos ligados às ações da gestão do presidente Jair Bolsonaro, sob o comando do deputado Erick Musso. Uma das últimas manifestações do grupo foi a invasão ao hospital Dório Silva, em junho deste ano.

Depois de uma sugestão do presidente da República, os deputados estaduais Lorenzo Pazolini, Vandinho Leite (PSDB), Torino Marques (PSL), Danilo Bahiense (PSL) e Carlos Von (Avante) foram ao hospital, sob a justificativa de que iriam fiscalizar as instalações, provocando repercussão negativa e protestos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anuncie
Conosco.