Criminalidade no interior mobiliza entidades em São Mateus, ES

O documento em que as entidades denunciam a falta de segurança na zona rural de São Mateus foi protocolado no Palácio Anchieta pelo presidente da Câmara Paulo Fundão.

(JORNAL A ILHA) – O aumento sistemático da criminalidade na zona rural de São Mateus, especialmente na região dos quilômetros, sentido Nova Venécia acendeu o alerta na Câmara Municipal na sessão da última terça-feira (19). A vereadora Luciete de Oliveira Cerqueira (PT) usou da tribuna para comunicar um documento assinado por várias entidades e igreja, exigindo do Governo do Estado providências “urgente” para enfrentar a violência.

Coube ao presidente da Câmara Paulo Fundão (PP) encaminhar ao Governo o documento que foi protocolado no próprio Palácio Anchieta.

Mas antes mesmo de receber o documento, o governador Renato Casagrande (PSB) que esteve em São Mateus no dia seguinte, quarta-feira, ouviu da própria vereadora a necessidade de “tomar medidas urgentes para melhorar o policiamento na região.

O documento faz referência aos problemas de segurança, e foi também direcionado ao Comandante Geral da Polícia Militar coronel Alexandre Ramalho, e mostra a preocupação com a insegurança em todo o município de São Mateus, do campo e na cidade.

“Cotidianamente milhares de famílias mateenses convivem com a péssima sensação de insegurança, reflexo de uma grande onda de criminalidade como roubos, assaltos e furtos que se arrastam em nosso município, sobretudo no campo – zona rural e que infelizmente se agrava a cada novo dia.”

“É triste ver o município compor as páginas policiais com fatos alarmantes, onde ocorrem muitos arrombamentos em casas residenciais, lojas, comércio em geral e assaltos envolvendo os municípios.

São inúmeros casos de famílias que já viveram e continuam vivendo um verdadeiro terror nas mãos de pessoas armadas, praticando violência física e psicológica, além de furtar bens de valores e produtos. Também é notável a presença de drogas nas vilas e comunidades rurais. E isso certamente impulsiona a violência onde muitos jovens estão perdendo suas vidas de forma brutal.

Contudo, as famílias não se sentem mais seguras em morar no campo, o que era lugar de paz, tranquilidade e sossego, hoje se tornou ambiente com muitos problemas sociais, onde as pessoas de bem estão dentro de suas casas trancadas de grades e cercadas de muros, enquanto os suspeitos estão lá fora, soltos na sociedade causando medo, afronto e roubando a população.

Diante da situação caótica que vivemos com a falta de segurança, solicitamos aos senhores que tomem providências urgentes e necessárias ( em curto prazo ) no sentido de proteção as famílias, bem como intensificar as ações no município junto a Secretaria Estadual de Segurança Pública, promovendo o aumento de contingente das Policias Militar e Civil, a disponibilidade de mais viaturas para melhores condições de trabalho dos policiais, que haja investigação para identificar os praticantes dos roubos e assaltos, bem como, os mandantes que por ventura possam ter e com essas medidas imediatas, esperamos a redução da violência no município de São Mateus, sobretudo no campo.

Independente das limitações de recursos, acreditamos que o poder público do Estado do ES não apenas pode, mas tem o dever de apresentar uma resposta concreta para a situação.

Solicitamos uma audiência das representações citadas neste documento em caráter de urgência com Vossas Excelências de forma presencial ou virtual.

Agradecemos pela atenção, sem mais para o momento, aproveitamos a oportunidade para reiterar protestos da mais elevada estima e consideração”.

ENTIDADES

Assinam o documento representantes do Comitê Educação do Campo, Movimento dos Sem Terra (MST), das Comunidades Eclesiais de Base/Pastorais Sociais, Grupos Evangélicos, Antônio Zampirolli representante dos Comerciários, das Associações, do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, da Escola Família Agrícola, e Sindicato Patronal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *