Funcionário da Petrobrás recebe moção da Câmara e manifesta preocupação com plano de aposentadoria

Funcionário da Petrobras em São Mateus há 32 anos, José Augusto Oliveira, recebeu da Câmara, nesta terça-feira (06), Voto de Congratulação, por representar as reivindicações dos empregados, pensionistas e aposentados da estatal em relação à Fundação Petrobras de Seguridade Social (Petros), fundo de pensão multipatrocinado, de aposentadoria complementar à do INSS.

Submetida à votação, a Moção n° 030/2019, de autoria do Vereador Jorginho Cabeção, presidente da Câmara, foi acolhida pela maioria dos parlamentares. A vereadora Jaciara Teixeira absteve-se de votar.

Assinaram com o autor os vereadores Ajalírio Caldeira, Antônio Luiz Cardoso, Aquiles Moreira, Carlos Alberto, Doda Mendonça, Francisco Amaro, Jerri Pereira, Jozail do Bombeiro e Paulo Chagas.

ROMBO

José Augusto é representante do grupo Nosso Futuro, que luta contra cobranças adicionais e aumento da contribuição previdenciária, visando cobrir rombos provenientes de corrupção, má gestão e da crise econômica.

Falando na tribuna popular a convite de Jorge Recla, o petroleiro agradeceu pelo apoio do Legislativo e manifestou preocupação com o futuro dos funcionários da estatal.

“A má administração do fundo começou em 2015 e o rombo é de R$ 52 bilhões . Nós que estamos na ativa, não temos expectativa de aposentadoria. Queremos nossos direitos respeitados”, disse.

JUSTIFICATIVA

De acordo com Jorginho, o Voto de Congratulação tem como finalidade apoiar as reivindicações dos empregados, aposentados e pensionistas da Petrobras, os quais solicitam as reduções dos impactos ocasionados pelo Plano de Equacionamento do Deficit do Plano Petros em seus rendimentos, de forma que haja a consideração dos valores devidos entre a Empresa e o Fundo, decorrentes dos prejuízos investigados na “Operação Greenfield”, criada pelo Ministério Público Federal e pela Polícia Federal para “apurar crimes de gestão temerária e fraudulenta, cometidos nos quatro maiores fundos de pensão: PREVI, FUNCEF, PETROS e POSTALIS”. Os empregados, aposentados e pensionistas da Petrobrás são pessoas que dedicaram uma vida para a valorização de seu trabalho e da empresa que os representa. Eles vêm sofrendo grande impacto financeiro, com risco até mesmo à sua própria subsistência em razão destes descontos automáticos ”, justificou o presidente.

Fonte: Sec. de Comunicação CMSM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *