Reabertura de igrejas reaquece Turismo Religioso no Brasil

Alguns dos importantes atrativos do segmento já voltaram a receber turistas, após adoção de protocolos de segurança sanitária

(MTur) – Após meses de restrições a atividades religiosas a fim de evitar aglomerações e prevenir o contágio da Covid-19, turistas e devotos já podem voltar a frequentar locais de fé em diversos estados do país, como Bahia, Ceará, Minas Gerais e Espírito Santo. Nos últimos meses, importantes igrejas, santuários e basílicas voltaram a abrir as portas após a adoção de protocolos de segurança sanitária, como a redução da capacidade, a disponibilização de álcool em gel, a obrigatoriedade do uso de máscara e o distanciamento entre as pessoas.

Nesta quarta-feira (23.09), a Igreja de Nossa Senhora do Rosário, em Vila Velha (ES), retomou as visitações. Tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 1950, a igreja é considerada uma das mais antigas do Brasil – construída em 1535 – e um marco da época colonial. As visitas acontecem de quarta a sexta, das 9h às 17h, e, a partir de outubro, serão ampliadas para o período de segunda a sexta, com missas aos domingos.

Na semana passada, a cidade de Juazeiro do Norte (CE), importante polo do Turismo Religioso no país, autorizou o funcionamento das igrejas, dentre elas, a Basílica de Nossa Senhora das Dores, que atrai milhares de fiéis para rezar pela alma do Padre Cícero. A Capela do Socorro, onde está o túmulo do sacerdote, e a estátua do santo popular, visitada por 2,5 milhões de pessoas anualmente, foram reabertas com capacidade reduzida.

O secretário nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo do Ministério do Turismo, William França, ressalta a importância do Turismo Religioso para a economia do Brasil e acredita que, a partir da reabertura, o setor vai ganhar força e ajudar o país a voltar a crescer. “O Turismo Religioso sempre foi um forte segmento no Brasil. Com igrejas e templos reabrindo, o setor do turismo ganha mais força, assim como toda a cadeia produtiva envolvida. Mesmo com a capacidade de pessoas reduzida para a garantia da segurança dos turistas e fiéis, é um grande passo para voltar a movimentar a economia do país”, comentou França.

Outro importante atrativo turístico, cultural e religioso voltou a abrir no início deste mês: a Basílica do Santuário de Nazaré, em Belém (PA), responsável pela tradicional celebração do Círio de Nazaré. Neste ano, em decorrência da pandemia, a 228ª edição do Círio não terá a tradicional procissão, mas os devotos poderão fazer suas promessas diante da corda oficial do evento, símbolo da celebração, que estará exposta no complexo turístico e cultural da capital paraense, Estação das Docas, entre os dias 23 e 30 de setembro.

Uma das mais visitadas igrejas do Brasil, o Santuário Nacional de Aparecida, em São Paulo, já recebe o público desde julho, e dois dos principais atrativos turísticos do templo, os Bondinhos Aéreos e o Trem do Devoto, voltaram funcionar no início de setembro. Atualmente, o santuário pode receber até 6 mil pessoas simultaneamente, segundo decreto da administração municipal, o que corresponde a 40% da capacidade total.

IGREJINHA DA PAMPULHA – A Capela Curial São Francisco de Assis, mais conhecida como Igrejinha da Pampulha, em Belo Horizonte (MG), está programada para reabrir no dia 4 de outubro, data consagrada ao padroeiro do templo e protetor da natureza e dos animais. A construção, projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer e restaurada em 2019 pelo Iphan, terá seu retorno às celebrações religiosas e ao turismo atendendo às medidas de proteção necessárias para a prevenção do novo coronavírus dentro dos protocolos sanitários e de segurança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *